Jogos Vozares X Battle Royale

Está todo mundo comentando. As comparações são inevitáveis e é só  nisso que os cinéfilos falam (até o lançamento de Os Vingadores). Jogos Vorazes (o filme e apenas esse) consegue passar a mesma essência de um filme japonês, o tão falado Battle Royale.
Realmente os dois filmes, em termos de história, são muitos similares. E por esse motivo decidir fazer não uma crítica sobre Jogos Vorazes, mas sim comparando ele ao Battle. Veremos suas semelhanças, suas diferenças e quem vence essa batalha… Estão prontos para acompanhar esses jogos sangrentos?

Jogos Vorazes: A nova coqueluche juvenil é baseada em um livro americano, que leva o mesmo nome, escrito por Suzanne Collins. O primeiro de uma trilogia, faz a introdução da personagem principal, Katniss Everdeen  (Jennifer Lawrence), se voluntariando para ir no local da irmã, a jovem Prim, para os mortais Jogos Vorazes. Passado em um futuro próximo, treze distritos entraram em colapso e se romperam em uma guerra que acabou com a vitória da Capital. Por isso mesmo, todo ano, cada um desses doze distritos (o 13º está supostamente destruído) tem que colocar dois jovens, entre 12 e 18 anos, um menino e uma menina, como tributos para a Capital fazer seus jogos sádicos, como lembrança de submissão e obediência, onde apenas um pode sair vivo e vencedor. E é na 74º edição dos Jogos Vorazes que Prim sorteada, mas Kat se prontifica para ir no lugar da irmã. Junto com ela, representando o distrito 12, vai também o doce Peeta (Josh Hutcherson). Parte do filme é passado na preparação dos tributos para os jogos, que são levados para a Capital e de lá transformados em celebridades. Pausa dramática para eu falar do meu personagem favorito, o Cinna (Lenny Kravitz). Ele é o  estilista de Kat e Peeta. O personagem é um dos poucos de origem da Capital  sem ser alienado como todos os outros. Cinna acaba transformando os seus dois tributos em belos garotos colocando fogo artificial em suas roupas, daí apelido que Katniss ganha, ‘garota em chamas’, na apresentação da dupla ao público.
Partindo para o mortal combate, Katniss e Peeta vivem um romance meio forçado pela mídia voraz da Capital, mas percebem que se esse é o único jeito de sobreviverem, é assim que vai ser. Com uma grande reviravolta no final e a população insinuando  uma nova revolução por causa da ‘garota em chamas’, Kat faz os criadores dos jogos pensarem se é viável deixa-lá viva por muito tempo. Mas seu romance que Peeta já ganhou o público, levando os dois a vitória, mas também a uma grande batalha fora da arena. (Mas isso é história para o ‘Em Chamas’, o segundo da trilogia).


Battle Royale I : Survival Program: Estreado em 2000, Battle também é baseado em um livro japonês, chamado ‘Batoru Rowaiaru’,. E também passado em um futuro apocalíptico, onde o Japão está em decadência e seus jovens são cada vez mais violentos e rebeldes. Por esse motivo o governo aprova a lei ATO BR, lei esta que ordena que sorteiem uma classe de estudantes (entre 15 e 18 anos)para que eles se matem entre si até restar apenas um vencedor . A sala do 3° ano B foi escolhida para "O Programa". Assim, 42 estudantes lutarão por suas vidas de forma impiedosa.* Porque japonês é assim né? Sobreviveram a bomba de Hiroshima, sobrevivem a qualquer coisa. (#doumóvalor)*. O filme ainda conta com o romance entre Shuya e Noriko, os dois últimos sobreviventes. Sua continuação também foi lançada e se chama “Battle Royale II: Requiem” (que já são os jovens sobreviventes em revolução para derrubar o Battle Royale).O livro/filmes também viraram mangá e são super populares no Japão.
Não se tem muito para falar desse longa, ele é simples e direto dessa forma mesmo.


Battle é imensamente mais violento do que Jogos Vorazes, e consegue também ser superior a este. Sério gente, apesar de todo o sangue jogado na sua cara, Battle consegue ser mais real (pelo menos nos termos de sobrevivência) porque a Katniss é um pouco passiva  no filme nos Jogos, ela não vai a luta só fica lá parada em cima da árvore forever (salvo a parte que ela vinga Rue, mas nem isso conseguiu me levar as lágrimas como no livro), isso cansa o espectador. O filme (JV) não tem ritmo, é parado demais e aqueles mutantes no final foi a maior decepção.
Obviamente o longa japonês não é superior em todos os aspectos. Os personagens de Battle são lançados para o público, um atrás do outro, os 42, um a um indo a morte, não deixando você se apegar a ninguém que não seja os principais. Os dois tem as contagens dos mortes, mas diferente de Jogos, os garotos do Royale tem apenas 2 dias pasra o fim da batalha e se não restar apenas um, os rastreadores em seus pescoços explodirão.
Cada um tem seu ponto fraco, cada um tem seu ponto forte, mas quem me prendeeu mais na cadeira foi o Battle Royale, sem dúvida. Talvez porque eu esperava muito de Jogos Vorazes, e esperar muito de uma adaptação nunca dá muito certo né?! Mesmo assim, indico os dois filmes. (E também a leitura dos livros). E que venha o “Em Chamas” (meu favorito da série <3)




1 comentários:

Dasty-Sama disse... Responder comentário

Sou apaixonada por Jogos Vorazes, li os livros e adorei a história. Eu gostei bastante do filme, mas também esperava um pouquinho mais. Adoro o Cinna também ♥ Ele é meu personagem favorito :D
Agora estou definitivamente com imensa vontade de assistir Battle Royale! Amo o Japão e não fazia ideia desse filme, nem do mangá e nem do livro. Vou procurar saber mais sobre ele.

Postar um comentário